Notícia

2min leitura

67% de retorno em 2023 e a ação ainda continua barata

Investindo como Warren Buffett: desvendando uma promissora microcap fora do radar dos grandes investidores

Por Matheus Soares

06 jun 2023 11h04 - atualizado em 06 jun 2023 11h46

Dentre as inúmeras frases de efeito que o Warren Buffett nos brinda com suas aparições via carta aos acionistas da Berkshire Hathaway e canais americanos de televisão, a analogia que ele faz entre investimento e jogo de baseball é uma daquelas sacadas geniais que vez ou outra aparece em suas falas:

“O segredo dos investimentos é simplesmente sentar e observar lance após lance passar, esperando aquele que se encaixa perfeitamente para você rebater. E se as pessoas estiverem gritando ‘Bata, seu incompetente!'”, ignore-as.

Este vídeo de 55 segundos compila os melhores momentos de sua primeira entrevista para uma TV americana, em 1985, em que ele traz essa analogia.

Quase 40 anos se passaram desde que ele falou isso e, apesar do tempo, essas frases não envelheceram mal. Pelo contrário: lembramos sempre desta entrevista na escolha das ações da Carteira Market Makers.

Diariamente a bolsa abre com inúmeras ofertas piscando na Bloomberg: PETR4 @ R$ 27,38; VALE3 @ 67,33; ITUB4 @ R$ 27,00. Quais delas são realmente boas oportunidades de investimento?

Oportunidade rara na Bolsa brasileira

No dia 16 de março de 2023, uma dessas raras oportunidades de investimento em uma empresa fora do radar dos grandes investidores se apresentou para nós.

Se tratava de uma ‘microcap’ de R$ 800 milhões em valor de mercado e R$ 1,4 bilhão em valor de firma que, em 2022, havia atingido R$ 1,8 bilhão de receita líquida, R$ 463 milhões de Ebitda e apenas R$ 9 milhões de lucro líquido normalizado. A ação negociou entre R$ 2 e R$ 4 milhões de volume diário entre setembro do ano passado e março deste ano. 

Após alguns dias de estudo a oportunidade se apresentava nos seguintes termos: a ação negociava a 4 vezes a relação preço / lucro líquido projetado (P/L) para 2023, sendo um lucro projetado razoavelmente previsível. Além disso, diferentemente de uma empresa de commodities, a barganha não se apresentava com a ação negociando num patamar de lucro insustentável. Pelo contrário, havia alguma gordura para sermos surpreendidos positivamente.

Se não bastasse a dinâmica positiva de eventuais revisões positivas para o lucro líquido dela no período, toda a reestruturação operacional feita nos últimos dois anos pelos novos executivos trouxe a empresa de um patamar de alavancagem de 3,5 vezes Dívida Líquida / Ebitda para apenas 0,6x, abrindo espaço para distribuição de dividendos e até melhorar a percepção do mercado em relação a empresa.

Essa mudança de percepção não aconteceria sem nenhum gatilho. Em nossa opinião, os resultados do 1º trimestre de 2023 marcariam o ponto de inflexão da tese.

Subiu, mas continua barata

E felizmente, foi exatamente isso o que aconteceu: do resultado para cá a ação sobe quase 30%; desde a inclusão na carteira o retorno passa de 50%; e no ano a ação sobe 67%.

Apesar da alta, a ação continua negociando no mesmo patamar de múltiplo da nossa primeira recomendação de investimento, só que com mais visibilidade para os próximos resultados. Ou seja, aquela oferta que apareceu para o Market Makers lá atrás está piscando na tela para você hoje.

Quer saber que ação é essa? Clique aqui e confira o relatório completo que escrevemos sobre ela.

Compartilhe

Por Matheus Soares

Fundador do Market Makers, analista responsável pela Carteira Market Makers de Ações. Antes de fundar o MMakers, foi analista responsável pela cobertura de Small Caps na XP Inc e analista fundamentalista da Rico Investimentos. Certificado no curso de Value Investing da Columbia Business School.

matheus.soares@mmakers.com.br