Notícia

3min leitura

9 lições que aprendi em Omaha

Explorando insights de investimento em Omaha 2023: Tecnologia, desempenho das empresas, Berkshire Hathaway e mais

Por Market Makers

26 jun 2023 13h59 - atualizado em 26 jun 2023 01h59

No mês passado, a Berkshire Hathaway, de Warren Buffett e Charlie Munger, realizou a sua conferência anual em Omaha. Dada a importância e os resultados da carteira de ambos, o evento se tornou um verdadeiro Lollapalooza dos investimentos, atraindo gente do mundo inteiro. Nosso amigo Daniel Gewehr era uma dessas pessoas que estava lá. Ele escreveu as 9 principais lições que tirou da viagem e compartilhou conosco. Confira abaixo.

Achei interessante compartilhar essas 9 lições que aprendi na minha viagem para Omaha em 2023. Além da assembleia da Berkshire e os insights de Warren Buffett e Charlie Munger, participei de 4 eventos interessantes. Tem desde vantagens competitivas, estilo de investimentos, tech como value investing e pitches de ações. 

O que te chamou atenção? Feedbacks são bem-vindos. Se quiser a apresentação completa, escreva para dangewehr@hotmail.com.

1. Setores e círculo de competência: pitches do buy-side — Tecnologia entra no framework do value investing. Notei uma frequência maior de apresentações sobre tecnologia durante os eventos. Eventos anteriores tinham mais empresas de bens de consumo e financeiras sendo apresentadas. Os nomes incluem: Meta, Microsoft, Google, Amazon, Samsung.

2. Comprar as empresas de maior capitalização de mercado tem desempenho inferior ao S&P na década seguinte. As 10 maiores empresas em valor de mercado da década tiveram desempenho inferior ao S&P na década seguinte, desde 1980, de acordo com um estudo apresentado por Bill Smead, CIO da Smead Capital.

3. Reunião da Berkshire Hathaway — Sete tópicos quentes da sessão de perguntas e respostas.

a) “Top Down”: é provável que os lucros operacionais das empresas sejam menores em relação ao ano anterior;

b) Desempenho das ações da Berkshire no período de sucessão [de Buffett e Munger]? A recompra de ações pode ajudar;

c) Value Investing em uma era de tecnologias disruptivas? 

d) “Reservas” de caixa: a liquidez é importante; 

e) A Apple está se tornando muito grande dentro da carteira da Berkshire Hathaway?; 

f) Infraestrutura é uma área-chave de investimentos orgânicos;

g) A situação entre EUA e China é fluida? A Berkshire Hathaway vendeu sua participação na TSMC devido a riscos geopolíticos.

4. Concentrar ou não? A maioria dos investidores que apresentaram nas conferências de Omaha em 2023 prefere ter carteiras concentradas (10-35 ações). Uma carteira concentrada aumenta a probabilidade de obter um desempenho superior a longo prazo. Nós tendemos a ter entre 20 e 30 ações.

5. Leitura: a receita de investidores bem-sucedidos. Recomendações de livros. Além de Buffett e Munger, muitos investidores de valor a longo prazo mencionaram que a leitura ocupa a maior parte do dia deles. Tom Gayner, presidente e CIO da Markel, gasta (ou pode ser lido como “investe”…) de 5 a 6 horas por dia lendo.

6. Markel: Crescimento de longo prazo com semelhante à Berkshire. A Markel é uma “mini-Berkshire” em nossa visão: uma empresa de crescimento a longo prazo que utiliza sua liquidez dos seguros para adquirir ativos (listados e empreendimentos). A MKL tem 20.000 funcionários e aumentou as vendas para US$11,7 bilhões.

7. Um framework de valor comum: Alto ROIC com oportunidades de reinvestimento. Um framework comum explicado pelos investidores foi um alto ROIC com oportunidades de reinvestimento. Eu vou além: idealmente, você deve comprar um ROIC marginal melhorando. Um artigo recente de Michael Mauboussin mencionou que “ROICs crescentes tendem a ser bons para os acionistas e ROICs decrescentes tendem a ser ruins.

8. Bancos: comprar ou não comprar? Essa é a questão em debate. Notei que mais investidores de valor estão preocupados em comprar bancos, impactados pelas recentes notícias sobre o sistema bancário dos EUA e pela volatilidade. Eu estou no grupo que acredita que bancos de qualidade, com a valoração correta, podem ser bons investimentos.

9. Perspectivas alternativas: Quantitativo x Qualitativo; O Brasil volta ao radar 

a) Investidores de valor tentam ser competentes quantitativamente, mas a maioria dos palestrantes focou em questões qualitativas: uma pergunta chave para eles é alinhamento. “O que motiva a alta administração?”. Acredito que a combinação de humano + máquina (fator + quant) é uma forte estrutura de investimento. 

b) O Brasil no radar: Alguns investidores com quem conversei perguntaram sobre empresas brasileiras (entre outras, aquelas em que a Berkshire tem interesse, como Nubank e Stone); Menções a mercados emergentes foram menores este ano.

Compartilhe

Por Market Makers

market.makers@mmakers.com.br