Notícia

2min leitura

Diga não aos livros ruins

No “Sem Medo de Investir em Ações” nós criamos um manual para você investir na Bolsa

Por Renato Santiago

28 set 2023 14h43 - atualizado em 28 set 2023 02h44

“Todos os bilionários leem muito, pelo menos todos que eu conheço”

— Florian Bartunek

Começar um livro e não terminá-lo costumava ser uma fonte de angústia para mim. Me sentia intelectualmente fracassado, ainda mais sendo jornalista, profissional que segundo o senso comum “devora livros”. 

Hoje não penso mais assim: cheguei à conclusão de que abandonar os que merecem é uma atitude inteligente e necessária. A vida é simplesmente curta demais para se gastar com obras ruins.

Existem alguns motivos pelos quais eu abandono um livro: eles podem ser bons, mas prolixos; podem ser bons, mas para outro público; podem ser apenas ruins ou mal escritos. O mais comum é o primeiro caso — livros que poderiam ser um artigo. 

Morgan Housel, um monstro da escrita e dos investimentos, autor do best seller “Psicologia Financeira”, tem uma filosofia interessante para essa questão.

“A minha estratégia é começar tantos livros quanto puder, mas terminar poucos deles. Anos atrás ouvi Charlie Munger dizer ‘eu não leio a maioria dos livros além do primeiro capítulo. Não estou sobrecarregado por livros ruins’, e isso ficou comigo”, escreveu.

Essa estratégia é boa por dois motivos: em primeiro lugar, você desperdiça pouco tempo; em segundo, não corre o risco de escolher apenas obras dos mesmos autores e assuntos que já sabe que gosta. É sobre otimizar o tempo, não sobre se fechar na sua zona de conforto.

É nesse espírito que criamos a Biblioteca Market Makers. Desde o primeiro episódio pedimos aos entrevistados indicações de livros que tenham a ver com o mercado financeiro e de qualquer outro tema. Ao todo já temos 181 obras recomendadas pelos gestores e economistas que entrevistamos. Os campeões de recomendação são “O Mais Importante para o Investidor”, de Howard Marks e Market Wizards, de Jack D. Schwager, cada um recomendado três vezes.

Como aqui acreditamos na filosofia de abandonar livros, também colocamos na nossa biblioteca as obras das quais nossos entrevistados não gostaram, que jocosamente chamamos de livros para morrer antes de ler ou desrecomendação. Os motivos citados pelos convidados costumam ser os mesmos que os meus.

Nosso livro 

Não sei se vocês sabem, mas já está em pré-venda o livro que eu e meu parceiro de programa Thiago Salomão escrevemos sobre ações! Este é um que eu tenho certeza que você não vai abandonar quando estiver nas suas mãos. 

No “Sem Medo de Investir em Ações” nós criamos um manual para você investir na Bolsa, reunindo lições e aprendizados que tivemos nos mais de quatro anos que entrevistamos os maiores tomadores de decisão do mercado financeiro. Nossa ideia nele é desmistificar a história de que a Bolsa é um “clube o qual não é confortável e seguro frequentar”. 

Mesmo que você, leitor desta CompoundLetter não tenha medo da bolsa (o que eu imagino ser o caso), ele também pode ser útil para você, pois nós explicamos, nos oito capítulos, quais os riscos e as armadilhas da Bolsa, como identificar uma boa ação e como montar um portfólio saudável e sustentável no longo prazo. Se você gosta do Market Makers, não deixe de conferir clicando aqui.

Compartilhe

Por Renato Santiago

Jornalista, co-fundador do canal Market Makers e do Stock Pickers, duas vezes eleito o podcast mais admirado do Brasil. Passou por grandes redações do país, como o jornal Folha de S. Paulo e revista Exame, e atuou na cobertura de diferentes temas, de cotidiano até economia e negócios. Sua missão, hoje, é a de usar sua expertise editorial e habilidades de reportagem para traduzir o mundo das finanças e mercado financeiro ao grande público.

renato.santiago@empiricus.com.br