Notícia

2min leitura

O dia depois da eleição

Lula eleito: e agora? Essa questão e muitas outras serão respondidas hoje no Market Changers

Por Thiago Salomão

31 out 2022 11h51 - atualizado em 31 out 2022 11h51

A noite (e um pedaço da madrugada) do meu domingo foi dedicado a conversas, leituras e calls com especialistas do assunto sobre as primeiras impressões da vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o até então presidente Jair Bolsonaro (PL) na eleição presidencial.

Trarei todas elas daqui a pouco, na abertura do Market Changers, o evento de aniversário da Empiricus que acontecerá nesta segunda-feira (31) a partir das 9h da manhã em São Paulo (a transmissão online pode ser vista aqui).

Eu estarei na abertura do evento mediando uma conversa com Felipe Miranda e Rodolfo Amstalden, ambos fundadores da Empiricus. Ao longo do dia, nomes como Daniel Goldberg, Rogério Xavier e Rubens Ometto também falarão. Confira a programação completa:

>> MARKET CHANGERS: PARTICIPE! <<

As primeiras impressões:

Lula venceu, como esperado. A disputa foi bem apertada, como esperado, e questionamentos ainda podem surgir (Bolsonaro optou por falar apenas na segunda e na noite de domingo alguns focos de bloqueio de estradas por caminhoneiros foram identificados). Mas por ora, o que temos é a vitória do candidato do PT.

Não restam dúvidas do que espera-se de Lula: conciliação e pragmatismo. O país está dividido e ele terá muitos inimigos na Câmara e no Senado (de Moro a Mourão), não há espaço para manobras nem revanchismo. Torcemos para um anúncio sensato em pastas importantes, como o Ministério da Economia, mas o tom “passional” do seu discurso na Paulista no domingo deixa um alerta de não termos um “Lulinha Paz e Amor”.

A direção do Lula para um caminho mais pragmático é mais do que necessária: quem acompanhou o episódio 18 do Market Makers viu que o cenário desenhado para o Brasil em 2023 é bem perigoso, principalmente pela série de medidas expansionistas adotadas nos últimos meses para estimular a economia.

Como brasileiro, torço para que o caminho da racionalidade seja tomado. Mas não podemos ser ingênuos: governos de esquerda tendem a ter um caráter muito mais gastador e mais “inchado”, com o Estado sendo mais participativo. Além disso, não se vê autocrítica por parte do PT aos erros cometidos no passado. A ver…

Já Bolsonaro entra para a história como o primeiro presidente a não conseguir a reeleição. Resta a reflexão: como o “Bolsonarismo” conseguiu eleger tantos deputados, senadores e governadores, mas não elegeu o próprio Bolsonaro? E como será a figura dele agora como oposição?

O futuro de Bolsonaro, qual versão do Lula veremos em 2023 e muitas outras perguntas serão respondidas hoje por nós no Market Changers. Não perca!

>> QUERO ASSISTIR AO MARKET CHANGERS <<

Compartilhe

Por Thiago Salomão

Fundador do Market Makers, analista de investimentos CNPI-P, MBA em Mercados Financeiros na Fipecafi e na UBS/B3. Antes de fundar o MMakers, foi editor-chefe do InfoMoney, analista de ações na Rico Investimentos, co-fundou o podcast Stock Pickers e foi sócio da XP de 2015 a 2021

thiago.salomao@mmakers.com.br