Notícia

1min leitura

Por que os melhores gestores têm Petrobras

Camilo Marcantonio, do Charles River, e André Lion, da Ibiuna, explicam suas posições na petroleira brasileira

Por Josué Guedes

20 jan 2023 11h25 - atualizado em 20 jan 2023 11h25

No episódio desta quinta-feira do Market Makers recebemos dois dos gestores que mais ganharam dinheiro no mercado brasileiro em 2022: Camilo Marcantonio, cujo Charles River FIA rendeu 24,6%; e André Lion, que ganhou 26% no Ibiuna Long Biased. O resultado do Ibovespa no ano passado foi de 4,7%

As estratégias e filosofias de investimentos das duas casas são bem diferentes, mas uma coisa eles têm em comum: o investimento na Petrobras, mesmo com a volta de um partido que tem, digamos, uma aversão um pouco maior a alguns dogmas do mercado financeiro.

A única diferença entre eles é a de que, enquanto a Charles River aumentou a posição após o término das eleições, o Ibiuna reduziu.

Abaixo resumimos os principais argumentos expostos por cada um e a dinâmica do investimento:

André Lion (Ibiuna)

  • ROIC (retorno sobre o capital investido) atrativo;
  • Nova política de dividendos (geração de caixa menos investimentos);
  • Meta de redução do endividamento para R$ 60 bilhões atingida rapidamente;
  • Geração de caixa muito alta.

Tamanho da posição: reduzida após as eleições. Segundo Lion “a possibilidade de retorno da empresa continua a mesma, mas o risco aumentou por que temos agora um governo que deve rever política de preços e investimentos da companhia”.

Camilo Marcantonio (Charles River)

  • Tamanho da Petrobras: são necessário muitos investimentos ruins para afetar a empresa;
  • Grande assimetria de risco-retorno.

Tamanho da posição: aumentou depois das eleições. Para Marcantonio, os preços das ações caíram demais com as eleições, aumentando a margem de segurança para investimento na companhia.

Para ouvir mais sobre Petrobras e a teoria completa de investimentos de cada um dos gestores, clique aqui.

Compartilhe

Por Josué Guedes

josue.guedes@mmakers.com.br