Notícia

3min leitura

No poker ou nos investimentos, saiba o risco que você quer correr

Não carregue o Ás e Dois

Por Matheus Soares

30 maio 2023 15h50 - atualizado em 30 maio 2023 03h52

“If you’ve been playing poker for half an hour and you still don’t know who the patsy is, you’re the patsy.” 

Warren Buffett

No poker, a mão inicial composta por um Ás e Dois é conhecida como “mão fraca” ou “mão inicial pobre”. É uma das piores mãos que alguém pode sair, no entanto, muitos jogadores topam o risco na esperança de formar uma combinação poderosa ao longo do jogo. 

Uma mesa padrão de poker geralmente acomoda entre 9 e 10 jogadores e vence aquele que ou tem a melhor combinação ou faz parecer que tem, fazendo com que todos os outros participantes desistam da partida – o blefe é uma característica presente em muitos jogos de cartas e no poker não é diferente. 

No Texas Hold’em, o mais popular entre os jogos de poker, cada jogador recebe duas cartas que pertence somente a ele, e o dealer – que é quem distribui as cartas – coloca sobre a mesa outras cinco cartas que podem ser utilizadas por todos para fazer a melhor combinação de cinco cartas possível. 

Alguns exemplos são: par (duas cartas iguais), dois pares (dois pares de cartas), trinca (três cartas iguais), sequência (cinco cartas em ordem numérica), flush (cinco cartas do mesmo naipe), full house (uma trinca e um par), quadra (quatro cartas iguais) e straight flush (uma sequência do mesmo naipe). Veja aqui.

Antes e depois de cada carta ser revelada, os jogadores se revezam para apostar. 

Apesar de ser um jogo de cartas, o poker carrega consigo muitas semelhanças com o mercado financeiro. Ambos envolvem gestão de risco, tomada de decisão, estratégia, conhecimento emocional, leitura de jogo e a possibilidade de ganhar ou perder dinheiro

O Ás e Dois dito no início do texto é uma dupla perigosa: o Ás é a melhor carta do jogo, enquanto o Dois é a pior. Ao sair com essa dupla, o jogador tem a opção de continuar no jogo cobrindo o aporte financeiro de início da partida.

Se o jogador optar por continuar no jogo, será que ele tomou uma boa decisão? Se um Ás virar na mesa, será que ele deve seguir na partida cobrindo as apostas que eventualmente podem surgir? Será que ele é o único com um Ás na mão?

Seguir na partida é se colocar em uma situação desconfortável e que poderia ter sido evitada. 

É possível ganhar? Claro, sorte e habilidade andam juntos em um jogo de poker, mas como bem colocou Annie Duke, autora do livro Thinking in Bets: Making Smarter Decisions When You Don’t Have All the Facts, ganhar e perder são apenas sinais vagos de qualidade de decisão.

Como investidor você precisa saber o jogo e o risco que você quer correr. 

Na seleção das empresas que compõem a Carteira Market Makers, mais do que seguir no jogo com um par de Ases, o que nós queremos mesmo é fugir da combinação Ás e Dois.

O tempo dirá se estamos fazendo corretamente, mas em cada decisão que tomamos nos fazemos as seguintes perguntas: por que esse investimento está se apresentando para nós a este preço? O que nós vemos que outros participantes desse ‘jogo’ não estão enxergando? Por que alguém está vendendo para nós? O que ele sabe que nós não sabemos?

O retorno em um investimento de renda variável é um jogo de soma zero: pra alguém ganhar mais, outros têm que deixar de ganhar. Para cada compra, existe um vendedor.

Na última quinta-feira, aumentamos nossa parcela investida em ações para 100% e adicionamos 4 novas empresas que trazem fluxos de caixa que ainda não tínhamos na Carteira Market Makers.

Nas próximas semanas, traremos relatórios sobre cada uma das novas teses de investimento. 

Para conhecer as teses, basta ser assinante da Comunidade Market Makers. Você pode tornar-se membro contratando nosso serviço ou então investindo no Fundo Market Makers, o fundo de ações feito para seguir nossa carteira. Saiba mais sobre essa promoção clicando aqui.

Compartilhe

Por Matheus Soares

Fundador do Market Makers, analista responsável pela Carteira Market Makers de Ações. Antes de fundar o MMakers, foi analista responsável pela cobertura de Small Caps na XP Inc e analista fundamentalista da Rico Investimentos. Certificado no curso de Value Investing da Columbia Business School.

matheus.soares@mmakers.com.br