Notícia

2min leitura

Uma bronca em você, investidor

O problema do fear of missing out (FOMO)

Por Renato Santiago

27 set 2023 14h34 - atualizado em 27 set 2023 02h34

Quanta atenção você, investidor, dá para os investimentos dos outros? Alguma vez você já ficou com inveja do seu cunhado ou do seu vizinho e acabou fazendo uma bobagem financeira por causa disso?

Se sim, essa bronca é para você. Se não, que sirva de alerta.

Pergunto porque esse tipo de atitude pode ser considerada um grande efeito colateral do processo de sofisticação do investidor pelo qual o mercado brasileiro vem passando nos últimos anos (conhecido como financial deepening). Ao mesmo tempo que ele trouxe mais informação e educação financeira para o público, acabou confundindo ou deixando alguns mal informados pelo caminho.

Segundo Juliano Custodio, fundador da EQI Investimentos,  esta é uma característica marcante de muitos investidores de hoje, mais presente do que quando ele começou, há cerca de 20 anos. No Market Makers 63, da semana passada, ele descreveu o fenômeno assim:

“Você está entregando uma rentabilidade legal para o cliente, fazendo ali 25% naquele ano. Você está incrível. Aí o cara faz um churrasco no domingo com o cunhado, que diz: ‘olha aqui, ganhei 30% esse mês’. Então o cara liga para a gente e diz ‘vocês são idiotas, vocês fizeram 25% esse ano, mas meu cunhado já fez 30% esse mês”, diz Custodio. “Você tenta explicar: ‘olha só a volatilidade, o cara tomou muito mais risco, a gente não tá tomando risco aqui, mas ele responde: ‘como é que vocês estão perdendo para um amador?”, desabafa. 

“Isso é um baita problema para nós, por que todo mundo ganha mais que um gestor, já que toma mais risco. Mas uma hora o mercado cai e ele fica com as Conga e Vara na mão”, conclui referindo-se a Cogna e Via Varejo, recomendadas por influenciadores, sem muitas explicações e fundamentos, e que tiveram fortes quedas subsequentes. 

O efeito cunhado é mais conhecido no mercado financeiro por uma expressão em inglês: o Fomo — fear of missing out, em português algo como medo de ficar de fora —, ou por uma expressão mais mundana, a dor de corno. Ela é tão comum que até os profissionais precisam se precaver contra ela.

No episódio número 60 do Market Makers, Florian Bartunek, da Constellation, revelou que usa uma lição do megainvestidor Warren Buffett como antídoto.

“A pior coisa para o investidor é o Fomo. Buffett costuma dizer que não consegue entender quem tem 100 milhões de dólares e fica chateado por que o vizinho tem 101 milhões. Isso acontece. Mas o certo é falar parabéns, você ganhou, mas eu faço do meu jeito”, explica Florian.

Com o financial deepening, muita gente começou a investir e acompanhar o mercado, consequentemente transformando o assunto em conversa de bar e de churrasco. Dessa soma, muito prejuízo pode aparecer aos mais desavisados — o que não é seu caso. Convém ao investidor responsável prestar atenção aos seus investimentos e não aos do vizinho. Investir tem a ver com convicção, metas e perfil, não com parecer mais inteligente e rico para o cunhado.

Compartilhe

Por Renato Santiago

Jornalista, co-fundador do canal Market Makers e do Stock Pickers, duas vezes eleito o podcast mais admirado do Brasil. Passou por grandes redações do país, como o jornal Folha de S. Paulo e revista Exame, e atuou na cobertura de diferentes temas, de cotidiano até economia e negócios. Sua missão, hoje, é a de usar sua expertise editorial e habilidades de reportagem para traduzir o mundo das finanças e mercado financeiro ao grande público.

renato.santiago@empiricus.com.br