Notícia

1min leitura

A maior lição da vida do Tio Ricco

"Papai queria que eu tivesse a sensação de ter e depois perder"

Por Renato Santiago

14 out 2022 11h47 - atualizado em 21 out 2022 02h44

Quando entrevistamos o Tio Ricco, sabíamos que aprenderíamos muito com ele. Em seus stories no Instagram, o que não falta é sabedoria e risadas de um orgulhoso fumante de charutos Cohiba.

Mas uma das maiores lições que o episódio 16 nos trouxe veio, indiretamente, do pai dele.

“Papai, em certo ponto, começou a ficar muito bem financeiramente, mas era um cara espartano. Ele não gostava de muito conforto”, conta o Tio.

Mesmo em uma condição financeira, digamos, confortável, ele dormia muitas vezes no chão. “Para ele o conforto era um veneno. E ele não poderia viciar.”

O pai do Tio Ricco chegou ao Brasil fugindo de uma guerra e de perseguição. Mas seus filhos nasceram em uma condição diferente. Tinham bem-estar financeiro e cresceram em uma época de paz.

Como educar crianças sobre os perigos do conforto em condições assim? O pai de Tio Ricco achou um jeito.

“Em uma viagem, quando eu tinha 13 ou 14 anos, em Londres, paramos em uma vitrine e papai falou: ‘escolhe um relógio’. Escolhi um de ouro. Era lindo! Fui dormir com ele no pulso, quase beijando o relógio. Foi um orgasmo”, conta.

O relógio era um Patek Philippe, uma das marcas mais prestigiosas e caras da alta relojoaria.

“No dia seguinte, na mesa, ele me olhou com cara de bravo e disse: ’me devolve o relógio’”.

É claro que o Tio Ricco adolescente não entendeu aquilo. Ninguém entenderia.

“Entreguei o relógio, muito p#$%”, conta. “Ele queria que eu tivesse o sabor de ter fácil e perder fácil. Aquilo mexeu comigo e me transformou para sempre”, completa.

Essa é apenas uma das excelentes histórias que o Tio Ricco nos contou. Clique aqui e ouça o resto.

Loja atual da Patek Philippe em Londres

Compartilhe

Por Renato Santiago

Jornalista, co-fundador do canal Market Makers e do Stock Pickers, duas vezes eleito o podcast mais admirado do Brasil. Passou por grandes redações do país, como o jornal Folha de S. Paulo e revista Exame, e atuou na cobertura de diferentes temas, de cotidiano até economia e negócios. Sua missão, hoje, é a de usar sua expertise editorial e habilidades de reportagem para traduzir o mundo das finanças e mercado financeiro ao grande público.

renato.santiago@empiricus.com.br