Podcast

01h 44min

Prepare-se: o novo ciclo do mercado brasileiro vem aí

Descubra por que o mercado brasileiro terá em breve uma nova onda, maior do que foi a de 2020

Por Josué Guedes

16 nov 2023 19h23 - atualizado em 28 nov 2023 09h33

Inscreva-se

O episódio #71 é uma conversa sem rodeios com o CEO de uma das maiores e mais importantes empresas do Brasil, a B3.

Durante a conversa, Gilson Finkelstein, CEO da B3, rebateu nosso questionamento da B3 ser um monopólio e disse que o mercado pode sim ter outras administradoras de bolsa – embora ele não ache isso faz sentido para um mercado do tamanho do nosso.

Ele também explicou por que acredita que o mercado brasileiro vai passar pelo que ele chamou de “no a onda”, que será muito maior do que a de 2020, quando o crescimento de investidores bateu seu ápice.

Além disso, contou os bastidores da transação entre BM&FBovespa e Cetip, que deram origem à B3, e como seu excesso de sinceridade o ajudou a ser escolhido como presidente da Bolsa (contexto: ele era CEO da Cetip, que era menor do que a BM&FBovespa na época do deal).

O QUE VOCÊ VAI APRENDER NESTE EPISÓDIO

  • Quem é Gilson Finkelsztain
  • A trajetória de Gilson até o cargo de CEO da B3
  • Como ocorreu a união da BM&F Bovespa e Cetip
  • Como Gilson se tornou CEO da B3
  • Por que Gilson não considera a B3 um monopólio
  • Qual o perfil dos clientes da Bolsa
  • Como foi a transformação do mercado de capitais pós-Dilma 2
  • Por que Gilson espera uma nova onda no mercado maior que a de 2020
  • O que mudou na B3 após Gilson assumir a presidência
  • Como a B3 encarou a COVID
  • Como a B3 faz para crescer
  • Quais as aquisições da B3 e os motivos por trás delas
  • Quais novos produtos a B3 planeja lançar
  • Por que fazer um IPO na B3 é mais vantajoso do que na NASDAQ

CONVIDADO

Gilson Finkelstein: Formado em engenharia de produção civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Finkelstein iniciou sua trajetória no mercado financeiro trabalhando no Citibank, em 1993, e permaneceu lá até 2007. Após deixar o cargo de diretor de vendas de tesouraria do Citi, passou pelo JP Morgan no Brasil e Santander. Em 2013, assumiu o cargo de CEO da Cetip. Após a fusão da BM&F com a Cetip, dando origem a B3, e a saída de Edemir Pinto da presidência da instituição, Gilson assumiu o cargo.

LIVROS RECOMENDADOS

When Genius Failed The Rise and Fall of Long Term Capital Management (Roger Lowenstein)

Duailibi Essencial (Roberto Duailibi)

Desrecomendação: Harry Potter (J. K. Rowling)

Compartilhe

Por Josué Guedes

josue.guedes@mmakers.com.br