Notícia

2min leitura

A decadência de Gafisa em quatro gráficos

A batalha por trás da recente disparada das ações

Por Matheus Soares

17 jan 2024 11h06 - atualizado em 17 jan 2024 11h06

Após desfrutar de 14 dias ensolarados nas terras sul-africanas, colocando o pé no habitat natural dos cinco animais mais perigosos do planeta e mergulhando nas águas mais geladas que já enfrentei na vida, estou de volta à ativa para escrever a minha primeira CompoundLetter do ano. Escolhi estrear 2024 escrevendo sobre GAFISA, cujas ações subiram 273% de 18 de outubro de 2023 até ontem – mesmo ela tendo caído 10% ontem.

Não é todo dia que a gente vê uma alta tão forte em um intervalo de 3 meses, mas a verdade é que se olharmos o histórico de Gafisa, trata-se de uma alta até que tímida quando comparada aos 456% que as ações subiram no intervalo de 26 dias que se deu entre o dia 15 de dezembro de 2022 e 5 de janeiro de 2023.

Como é possível observar no gráfico, a alta de 456% foi seguida de uma queda violenta nos meses subsequentes.

Apesar da montanha russa que tem sido o movimento recente das ações, se traçarmos um histórico maior de tempo, a direção do papel foi uma só: pra baixo. De janeiro de 2008 até o fechamento de ontem, as ações caíram 98%.

Quando olhamos para o retrovisor, fica fácil falar que Gafisa foi um péssimo investimento; o díficil é cravar se ao longo dos próximos anos a conclusão será outra. 

Para entender o que aconteceu com a empresa em números, vou trazer quatro gráficos que ilustram a decadência da sua operação ao longo dos últimos anos e como isso se refletiu no retorno aos acionistas.

Gráfico 1: Receita acumulada em 12 meses terminando no 3º trimestre de cada ano

De quase R$ 3,5 bilhões em 2011 para R$ 1,1 bilhão em 2023, mesmo levando em conta a inflação acumulada:

Gráfico 2: Lucro líquido acumulado em 12 meses terminando no 3º trimestre de cada ano

A Gafisa foi lucrativa raríssimas vezes desde o seu IPO:

Gráfico 3: Histórico da dívida líquida 

A dívida líquida da companhia chegou a diminuir até 2021, mas com as dificuldades na geração de lucro (e caixa) ela voltou a crescer até 2023:

Gráfico 4: Ações em circulação vs valor de mercado da empresa

O número de ações emitidas pela empresa (barras em roxo) saiu de 6 para 63 milhões de ações, mas não apenas a dívida líquida não caiu (conforme vimos acima), como também o valor de mercado da empresa (linha branca) não acompanhou:

Agora se você quer entender por que a empresa está indo tão mal e por que ela emitiu tantas ações para financiar seu crescimento (foram 10 ofertas de ações desde 2019), você precisa parar para ouvir sobre a briga societária que está rolando entre os acionistas.

É de longe um dos casos mais emblemáticos envolvendo governança corporativa que eu estudei nos últimos meses.

Quer saber mais? Eu e o meu sócio e irmão Thiago Salomão contamos no vídeo a seguir cada detalhe dessa história que tem feito as ações da Gafisa dispararem nas últimas semanas. Também dizemos ao final do vídeo o que acreditamos ser o melhor a fazer com as ações.

Compartilhe

Por Matheus Soares

Fundador do Market Makers, analista responsável pela Carteira Market Makers de Ações. Antes de fundar o MMakers, foi analista responsável pela cobertura de Small Caps na XP Inc e analista fundamentalista da Rico Investimentos. Certificado no curso de Value Investing da Columbia Business School.

matheus.soares@mmakers.com.br